Terra dos Mortos - YabloG!

Terra dos Mortos

julho 27th, 2005 | Por Fábio Yabu em Resenhas

George A. Romero é o que se pode chamar de uma lenda viva. Há trinta e sete anos ele por si só inaugurou um novo gênero cinematográfico, um novo tipo de filme: o de mortos vivos. Zumbis, famintos por cérebros, seus vizinhos, amigos e parentes, transformados por mordidas malditas que perpetuam o canibalismo, a carnificina, o show da morte.Ter introduzido esses conceitos no longínquo ano de 1968 já é um feito digno de um mestre. Agora, retomar o gênero e se mostrar em plena forma aos 65 anos é algo cuja nomenclatura remete a uma figura no mínimo, lendária. Ave, Romero!

Romero faz, Romero mostra. Terra dos Mortos tem tudo o que seus velhos filmes cansaram de ensinar a várias gerações de cineastas, mas feito com o estilo que só o mestre poderia fazer. Em seu novo filme, os zumbis praticamente dominaram o mundo. Os poucos sobreviventes vivem escondidos em fortalezas, onde o pior da raça humana se revela ainda mais podre do que os zumbis que queimam em suas cercas elétricas.

Vivendo em ostentação e luxúria, os ricos exploram os pobres, criam leis e oligarquias, erguem muros e grades para proteger a si e a seu dinheiro. Porém, quando o primeiro zumbi consegue entrar na cidade, não há mais distinção entre classes sociais. Todos viram carne fresca para a legião de mortos-vivos que vem cambaleando logo atrás.

Durante praticamente todo o filme Romero nos questiona e instiga, entre um braço arrancado e outro: de que lado nós estamos? E será que ele é tão diferente assim do outro?

Imperdível!

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube