Lost – O que esperar da primeira temporada - YabloG!

Lost – O que esperar da primeira temporada

fevereiro 7th, 2006 | Por Fábio Yabu em Resenhas

Como todos devem saber, a GloBBBo está exibindo a primeira temporada da minha série dramática favorita, Lost. Para ajudar a situar a vindoura legião de fãs, preparei um pequeno guia sobre a série e seus personagens, sem spoilers. Quando a segunda temporada for exibida pelo AXN, tratarei de fazer o mesmo.

Bom, vamos lá:

O que é?
Lost é uma série dramática diferente de tudo o que você já viu na TV, a começar pelo número de personagens: são ao todo 48 sobreviventes de um desastre de avião, dos quais conhecemos a fundo por volta de 10.

A história começa com a queda do avião da Oceanic Airlines, partido de Sydney com destino a Los Angeles. Após se partir ao meio em pleno vôo, as partes do avião caem sobre uma ilha e milagrosamente muitos de seus passageiros sobrevivem.

Antes completamente desconhecidos, agora eles precisam se unir para sobreviver e desvendar os mistérios da ilha, que incluem árvores que se contorcem violentamente, seres que gritam e sussurram à noite e toda sorte de bizarrices.

O que não é?
Por mais estranhos que possam parecer os fenômenos, Lost não é uma série de bizarrices inexplicáveis como Arquivo-X. Um dos grandes trunfos são os personagens. Cada episódio trata de um deles, mostrando quem ele é e o que fazia antes da queda do avião. Dessa forma, um intrincado quebra-cabeças vai se formando, quando a uma certa altura você percebe que nada – e nem ninguém – está ali por acaso.

Quem criou?
JJ Abrams, criador de Alias e Tristicity, digo, Felicity, em parceria com Damon Lindelof e Jeffrey Lieber.

JJ Abrams tem um currículo televisivo invejável, pois além de atualmente ser o produtor mais badalado dos EUA, revelou ao mundo Jennifer Garner em Alias. Apesar disso, ele também já deu suas derrapadas na vida. Alguém aí se lembra do final de Felicity? Eu nunca vou esquecer, já que ela simplesmente volta no tempo numa série que até então era tão científica e profunda quanto sua contemporânea Dawson’s Freak. Hoje estou mandando ver nos trocadilhos.

Na verdade esse é meu único medo, certamente compartilhado por milhões de telespectadores ao redor do mundo. Que, no último episódio da série JJ Abrams invente uma desculpa estapafúrdia do tipo “eles estavam mortos desde o primeiro episódio”, “eles estavam no inferno” ou “num reality show perverso exibido por alguma emissora de TV”. Felizmente, essas três hipóteses já foram negadas pelos produtores.

O que são os tais números?
Nunca numa série de TV um elemento teve tanta repercussão quanto os misteriosos números de Lost. 4, 8, 15, 16, 23, 42. É tudo o que você precisa saber.

Quem é quem?
Abaixo, algumas informações sem spoilers de alguns dos personagens principais.

 Jack: um médico bonitão, interpretado por Mattew Fox, de Party of Five. É o líder do grupo, um cara centrado, cético, que às vezes tem uns ataques de histeria. Mas é um bom rapaz.

 Locke: foi considerado pelos americanos o personagem mais sinistro da TV. Fique de olho nele. É um caraquinha estiloso, interpretado pelo famoso Terry O’Quinn, do qual eu nunca havia ouvido falar.

 Kate: mundialmente conhecida como a versão bonita da Alanis Morissette. Evangeline Lilly é um dos melhores motivos para se ver TV hoje em dia. A moça também é engajada e antes de ser atriz era modelo e se dedicava às causas humanitárias como a fome na África. Podia vir fazer uma caridade aqui em casa também…

 Sawyer: tudo o que uma pessoa tem de ruim ele tem: é egoísta, desonesto, salafrário, boca-dura… nenhuma mulher resiste, claro.

 Hurley: o gordinho mais carismático da TV é também peça chave em todo o mistério de Lost. Interpretado por Jorge Garcia, duuuude.

  Jin e Sun: um casal de coleanos que non fala inglês, né? E tem glaaande segledo, né?

 Claire: o sotaque australiano fica quase suportável na voz da bela Emilé de Ravin, uma loirinha tão gracinha que parece que vai quebrar.

 Charlie: interpretado pelo ex-hobbit Dominic Monaghan, é um roqueiro fracassado e caído no esquecimento, quase um Dado Villa-Lobos inglês (maldade).

 Boone: aparentemente não tem muitos mistérios além de como ele faz para manter a sobrancelha levantada daquele jeito. Interpretado por Ian Sommerholder, que vivia fazendo pontas em séries como Smallville, onde interpretou um jovem problemático (e quem não é naquela cidade?) que namorou Lana Lang (e que não namorou?) que teve muitos problemas com Lex Luthor (e quem não teve?). Obviamente foi ajudado por Clark (e quem não foi?) antes de morrer (e quem não morre em Smallville???). Acho que ele fez Dawson’s Creek também… ah, não. Foi aquele filme com o Dawson, “The Rules of Atraction”.

 Shannon: parece que está provado, ser loira e gostosa aumenta suas chances de sobreviver a uma queda de avião. O que não é ruim de forma alguma, Maggie Grace é uma… graça. Esse trocadilho foi péssimo.

 Michael: polivalente, o ator Harold Perrineau já fez papel de travesti e de operador da Nabucodonossor em Matrix Reloaded e Revolutions em interpretações que achei medianas. Também já interpretou um presidiário (como todo ator negro) em Oz e um ser meio andrógino em Romeo + Julieta. Como Michael, ele interpreta um arquiteto que nunca teve contato com o filho de 10 anos, que agora começa a conhecer na ilha. Bom, tempo eles vão ter de sobra.

 Walt: criança que não faz papel de meiga faz papel de louca ou de assombração. Qual deles Walt é? Brrrrr, esse moleque me dá medo.

 Sayid: um iraquiano no meio de um avião repleto de americanos, dá pra imaginar? Apesar do sotaque carregado, Sayid manda muito bem nos phrasal verbs e em umas conjugações verbais bem loucas que nem minha professora de inglês sabia fazer. É, outro mistério da ilha… Interpretado pelo excelente Naveen Andrews, é um dos personagens mais queridos da série.

French Chick: a voz ouvida no primeiro episódio. Éeeeee… essa é sinistra! Sem mais detalhes nem foto.

Episódios-chave:
Em geral, todos os episódios de Lost são bons. Alguns são fracos, e tem uns que são simplesmente sensacionais. Esses são os que você não pode perder de jeito nenhum, pois além de serem muito bem escritos, contém pistas do mistério envolvendo a ilha:

1-2: O piloto da série. Sem trocadilhos, é o piloto mesmo!!

4: Walkabout: Sobre Locke.

9: Solitary: Sobre Saiyd.

10: Raised by another: Sobre Claire.

11: All the best cowboys have daddy issues: Sobre Jack

14: Special: Sobre Michael e Walt. Brrrr…

15: Homecoming: Sobre Charlie.

18: Numbers: Sobre Hurley e os MALDITOS NÚMEROS! Esse é genial.

23, 24 e 25: Exodus, episódios finais da primeira temporada, que junto com o CSI de Tarantino foram a melhor coisa que passou na TV em 2005.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube