Um garoto chamado Rorbeto - YabloG!

Um garoto chamado Rorbeto

março 10th, 2006 | Por Fábio Yabu em Resenhas

umgarotocapa2.jpg

Sabe por que eu acho que escrever para crianças é uma responsabilidade tão grande?Não é só porque eu acho que os escritores ajudam a construir as fantasias das crianças, ou porque eles acabam se tornando modelos e referências, ou ainda porque eles ajudam a formar cidadãos mais conscientes através da leitura.É claro que isso ajuda, e me acompanha em cada página que escrevo. Mas o que realmente me preocupa, onde a tal da responsabilidade entra mesmo é na simples, dura e inegável verdade: qualquer um pode escrever para crianças. Por pior que seja o livro, ele certamente encontrará cá e acolá a incomparável condescendência infantil, que não oferece muita resistência a produtos no mínimo bem apresentados.

E todo mundo sabe disso; da Madonna à ex-Spice Girl Victoria Beckham, que já admitiu nunca ter lido um livro na vida. No Brasil, a atriz global Karina Bacchi já lançou dois (fracos) livros, engrossando a fileira de famosos que se aventuram na literatura infantil.

O mais recente caso é de ninguém menos que o “Playboy” Gabriel o Pensador, que explodiu nas rádios brasileiras há 14 anos com “Hoje eu tô feliz (matei o presidente)”. Desde então, o rapper virou figurinha carimbada na mídia, às vezes mais, às vezes menos, que lhe garantiram um (merecido) lugar na “festa da música tupiniquim”.

Seu primeiro livro, “Um garoto chamado Rorbeto” foi apadrinhado por Ziraldo, seu fã ardoroso. Devido ao justificado medo de mais uma bomba caça níqueis nas livrarias, as palavras do padrinho fazem parte de um encarte colocado sobre a capa, que inclusive leva a sua assinatura. Com esse selo de qualidade, é difícil não se convencer a dar pelo menos uma espiada, que já torna o livro quase irresistível com as magníficas ilustrações de Daniel Bueno e a sempre caprichada edição da Cosac Naify.

Mas vamos ao que importa: e o texto? Felizmente, todo o esmero do trabalho se justifica ao envolver e ambientar a bela história contada por Gabriel o Pensador, que pode não agradar a todos como músico, mas tem um inegável jeito com as palavras.

O livro conta de um jeito gostoso a história de Rorbeto, que tem o nome errado por um erro do pai e relembra do maior susto da sua vida no início da vida escolar. A história tem originalidade e um ritmo quase musical, que leva de uma página à outra de maneira automática.

Pode não ser um novo clássico da literatura infantil, mas sem dúvida foi uma surpresa muito agradável para mim. Recomendo com louvor a entrada de Gabriel o Pensador no concorrido mercado de livros infantis, hoje já tão empanturrado com porcarias.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

3 Comentários



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube