Mártir - YabloG!

Mártir

agosto 21st, 2006 | Por Fábio Yabu em Crônicas

Acho engraçado esse papo de alguns diretores que adoram dar uma de mártir e dizer que “no começo ninguém acreditava que o filme seria um sucesso”. Como no primeiro Super-Homem, de 1978. Peraí, como é que ninguém acreditava num filme que foi gravado em 5 países, tinha Gene Hackman no elenco, um Marlon Brando que ganhou 3.7 milhões de dólares por 4 minutos de fita e um Richard Donner que dirigiu por um absurdo 1 milhão de dólares para a época? Eu acreditaria até num filme do Chefe-Apache assim!

A mesma coisa acontece com Piratas do Caribe. Adoram dizer, a torto e a direito que ninguém esperava que o filme fosse um sucesso. Das duas uma: ou os produtores sabem de alguma coisa que nós não sabemos, ou então eles contrataram Jonnhy Depp sem olhar o currículo dele.

Os exemplos são tantos que o discurso chega a entediar. Matrix, X-Men, De Volta para o Futuro… parece que todo blockbuster nasceu fadado ao fracaso. Por mais que eu tente acreditar, não consigo imaginar alguém dizendo: “Tudo bem, pegue esse cheque de 100 milhões de dólares e contrate o Keanu Reeves, mas lembre-se: eu não acredito em você e no seu filme de m#@#!!”

Outra coisa que me irrita são essas histórias que autores rancorosos adoram contar sobre as editoras que negaram publicar seu best seller mundial. Como J.K. Rowling, cujo Harry Potter foi negado por 7 editoras. Oras, eu diria que ela teve muita sorte em ter levado apenas 7 “nãos”. Qualquer um que escreve livros sabe como as editoras funcionam; o fato de elas negarem esse ou aquele original muitas vezes não tem nada a ver com sua qualidade, mas N outros motivos como por exemplo; a linha editorial, seu fluxo de caixa e o planejamento da editora, muitas vezes feito com meses ou anos de antecedência. Não dá pra sair publicando qualquer coisa que aparece; por mais potencial que ela tenha.

Eu realmente não lembro quantas editoras disseram “não” para o meu livro. Sei lá, umas 10, 12? A maioria nem se pronunciou. Mas se tem alguma coisa que aprendi na vida é que ninguém é obrigado a acreditar em você senão você mesmo. O resto é consequência.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

Um comentário

  • kei-kun says:

    Ny… Ento eu devo presumir que eu terei um futuro difcil pela frente? .
    Ah, quanto ao “eu achei que no ia dar sucesso”, realmente ridculo… O que, ele abestado ou o que? u.u O marketing de empresas grandes acham que a gente lesado….



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube