O Clube dos Velhinhos - YabloG!

O Clube dos Velhinhos

novembro 28th, 2006 | Por Fábio Yabu em Crônicas

Esse foi um ano estranho.

Em todo o lugar que eu ia, encontrava um velhinho. Na padaria, no café, na livraria, no restaurante, no avião, no templo. Quando fui pra Paris fiquei 10 dias e não conheci ninguém a não ser… uma velhinha. Americana, muito simpática por sinal, havia ganhado a passagem dos filhos, o mais novo de 40 anos. Foi a minha melhor amiga durante a viagem.

Outro dia me meti a fazer uma aula de Tai Chi. É, eu e a Associação das Professoras de Geografia Aposentadas. No meu curso de filosofia sou o caçulinha da turma… a média de idade da sala é de 60 anos. Outro dia só por curiosidade resolvi ir na outra turma, e sabe o que vejo? Jovenzinhos na casa dos 35. Descobri que tinha algo errado. Alguém estava me mandando sinais.

Hoje fui cortar o cabelo, e o mais bizarro não foi ter levado uma cantada federal do cabeleireiro (“nossa, acho japonês tão liiiindo…”), mas o fato de, no meio dos cabelos que caíam no meu colo, tinha um diferente.

Branco.

YEEEEEEES!

Estou feliz em entrar para o Clube dos Velhinhos. Eu estava ansioso pra esse dia chegar, como uma pré-adolescente ansiosa pelo seu primeiro sutiã. A terceira idade me aguarda, e pode crer que eu vou com tudo!!

Chega de balada. Chega do carinha sem segundo grau na porta olhando pra minha roupa julgando se eu posso entrar ou não, chega das baladas de gente descolada com suas roupinhas descoladas e cabelos que lembram a adolescência mal resolvida, chega dos revivals dos anos 80, Deus, eu sinto vergonha de quem vai nesses lugares, chega dos cigarros que impregnam até minhas meias, do maldito cheiro de maconha, chega de gente suando, pulando, fedendo, se esfregando. Chega das jovenzinhas com pouca roupa, das trintonas desesperadas, dos moleques de 20 e poucos salivantes, dos quarentões mortos de fome. Chega dos barzinhos, repetitivos, sem graça, iguais. Em São Paulo pode-se ir a um bar por dia, sem repetir, durante 8 meses. Deus me livre, eu quero é voltar pra Birigui! Chega das bandas que tocam nas quintas à noite e não deixam a gente conversar, chega de pagar 5, 6, 10 reais numa cerveja que tem gosto de água suja, chega de bêbados no meu caminho para o banheiro, chega de uma porção de fritas com cheddar numa sexta à noite (gordura saturada, tô fora), chega dos “aniversários” em barzinhos em que você só vê o aniversariante quando chega e quando vai, e no meio disso fica com um sorriso amarelo e a cara de bunda a cada convidado que você não conhece e ainda tem que apertar a mão e dar beijinho. Aliás, aperto de mão e beijinho, chega disso também, coisa mais anti-higiênica. “Oi, beleza” já tá ótimo, se não quiser, passar bem!

Chega dessa necessidade desenfreada que as pessoas têm de espalhar sua saliva e seu DNA noite a fora, Deus, o que eles querem, colonizar Júpiter? Chega do xaveco furado pra levar a menina pro motel, chega de levar amigo bêbado pra casa, chega do outro amigo que ficou de levar todo mundo pra casa mas está sem roupa no estacionamento ao lado, chega das mensagens “Onde vocês estão?” no celular, chega de música eletrônica no carro, eu não suporto mais isso, mal ouço heavy metal, só quero saber de jazz e rock com mais de 15 anos. Chega de MPB, chega daquela porra daquele Armandinho, chega da 89, tão decadente, chega desses fenômenos e ondas adolescentes que varrem o mundo universitário e chegam incólumes até a mim, que só quero paz nos meus 27 anos. CHEGA!

Agora, no Clube dos Velhinhos, eu só quero saber de bons restaurantes (acho que vou ficar por São Paulo mesmo) e das sessões de cinema sem adolescentes. De passear com meus sobrinhos, trazer as crianças para dormir em casa, fazer o almoço, obrigar a comer tudo. De jantar na casa dos amigos, ajudar a lavar a louça e fazer fofoca enquanto isso. De comer bolo com biscoitos e café num domingo à tarde, de andar devagar, dormir com a barriga pra cima, falar e ser ouvido, se não, falar de novo e de novo até funcionar. De ouvir música velha, de fazer buracos no CD ou no iPod (sou um velho moderno), de usar o celular ultramoderno como calculadora de troco. Quero pegar ônibus de graça e celebrar cada novo cabelo branco, a conquista de ter passado pelos 20 e poucos sem ter feito nada de que eu me arrependesse. Quero só me preocupar com as coisas que realmente importam, como por exemplo, o que falta pra aprender, pra aproveitar, pra viver? Que idiomas eu não falo, que países quero visitar, que pensadores eu não conheço (todos velhinhos também, pode crer). E o melhor de tudo: sem nenhuma velha chata pra me encher o saco!

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

9 Comentários

  • Fbio Yabu says:

    U, foi o que acabei de dizer.

  • Ranbosvaldo says:

    Maluco, voc chato demais ein. Tem 27 anos e parece ter 55. PQP.

  • Hurley says:

    armandinho sux, pior que aqui no sul ele faz sucesso faz muito tempo, uns 6 anos j.

  • Juninho says:

    “(…)chega daquela ‘porra’ daquele Armandinho(…)”… Caraaaaaaa FALOU TUDO!!!! Eu qd ficar um velhinho tbm quero ser assim… mas eu fao um monte de coisas que vc disse, mesmo sem ser velhinho… nunca fui pra uma balada… e j tenho 19 anos! Nunca fiquei bbado, nunca fui pra um motel, no ouo Armandinho, Calypso, RBD nem essas m* que inventaram de um tempo pra c… curto Beatles… Kelly Clarkson e outros bichos mais… at que sou um velho jovem, no acha no!? Fica na paz Fbio… ah… e ae, curtiu o Epi. 10 de Heroes? Muito bom, n!? Falows!

  • alexfm says:

    gentem…
    que velho chato que o yabu virou…
    daquele tipo que voc no quer como vizinho mas entra no blog dele todo dia, sabe?

  • Maya Cimionatto says:

    Bom…chega para 80% dessas coisas a que vc citou.
    Mas se um dia eu ver vc incomodado com um beijo e um abrao que te dou, te mando para pqp. E no me venha com o Estatuto do Idoso para cima de mim, ok? Se no eu bato em voc com ele….

  • Tati says:

    Ai ai ai
    Cada doidinho com a sua mania no…

    J estava achando que vc vinha pra Birigui :)
    Mas pode deixar… na prxima vez nada de beijos nem abraos. Respeitarei seu ato higinico… rs
    Agora… sem nenhuma velha chata, vc forou… ahhh forou… e ainda dizendo que isso ” o melhor de tudo”… :P
    He he… acho que tb farei boa parte disso q comentou qdo eu ficar velhinha… bem, hj j fao sem ser velhinha… mas ainda assim… acho que pintarei meus cabelos brancos… rs
    Beijos Fabiano

  • Danilo. says:

    Nossa… eu tenho cabelo branco e s tenho 15 anos oO
    Ser que eu t no Clube tambm? xD

  • Cilon (22 anos) says:

    tirando a parte do onibus de graa, eu fao tudo isso e ainda tenho mais cabelo branco do que preto…

    Caramba, eu sou um velhinho… Fabyabu, vc mudou a minha vida!!!



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube