Wii-kend e como Zelda mudou minha vida - YabloG!

Wii-kend e como Zelda mudou minha vida

agosto 27th, 2007 | Por Fábio Yabu em Crônicas

(Pra variar, outro texto que começa de um jeito e termina nada a ver)

zelda_twilight_princess.jpg

Fim de semana verdadeiramente adorável, com dois dias de jogatina cercado por amigos queridos. Sábado teve Wii Sports e Zelda na casa do Forlani, com vinho e charutos (!), ao som de Amy Winehouse. É uma daquelas combinações tão inusitadas que você nunca pode tentar fazer de novo porque não vai dar certo.

No domingo joguei um pouquinho em casa. Brinquei um pouco com Super Paper Mario, que é excelente. Eu só havia jogado o do 64, que era muito bom mas um pouco parado às vezes. Achei que o novo dá de 10 a 0. E também comecei The Legend of Zelda – Twilight Princess. Que coisa linda de Meu Deus!! Ainda não deu tempo de ver muita coisa, ainda estou no primeiro labirinto, mas é delicioso poder ver Ocarina of Time ecoando por todos os cantos do jogo. Será esse o melhor Zelda ever? Responderei isso em algumas semanas…

Depois da jogatina individual, levei minha sobrinha Nara para a casa da vovó e vi que ela já está bem mais adiantada do que eu (mas ela começou antes, tá?). Lá, ainda deu tempo de jogar Wii Sports com o Tomás e de novamente levar uma surra no Tennis. Pelo menos o Lucas e o Kimi conseguiram salvar a minha honra… HIGH FIVES!! E a trilha sonora da vez era novamente, a melhor banda do mundo… Tenacious D!

Enfim, agora vou contar uma historinha chamada… “Como Zelda mudou minha vida“.

zelda_ocarina_of_time.jpg

Tenho um carinho muito especial por Zelda. Quando joguei Ocarina of Time pela primeira vez em 2001, eu sabia que estava entrando numa jornada da qual eu sairia transformado. Exagero? Escuta só.

Naquele ano, os Combo Rangers estavam num momento delicado. O site estava bombando, porém as vendas das revistas oscilavam entre o razoável e o “e agora, como vou pagar meu aluguel?“, mas estava dando pra levar uma vida regrada e sem muitos luxos. Eu estava achando que já era hora de criar novos personagens e aventuras, e a minha única premissa era de que meu novo projeto seria algo completamente diferente do anterior. Algo totalmente irreconhecível se não fosse pela assinatura, que aliás eu nem tenho.

Resolvi recomeçar do zero e escrever para outro público, que nunca havia ouvido falar de mim. Já havia feito os primeiros rabiscos das Princesas, uns desenhos bem mequetrefes, mas por mais que eu rabiscasse e procurasse técnicas e referências diferentes, sempre saía algo mais ou menos com a minha cara. Eu fazia algo meio mangá, mas queria ir para o outro lado. Queria algo mais cartoon, menos viciado, menos eu. Na real eu tava é meio de saco cheio de mangá, animê e gente de cosplay pulando no meu pescoço. Puta mico!

Foi quando meu brother Renk me mostrou um videozinho numa noite de sábado que simplesmente mudou tudo. A luz se fez, o bicho pegou, a casa caiu. O vídeo era a primeira demonstração do novo Zelda para Gamecube, que só seria lançado dali a um ano.

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/aQ7riCXrDxY" height="350" width="400" /]
(Putz, ainda sinto arrepio quando vejo)

Eu sempre acompanhei Zelda meio de longe, pois fui criado com Master System e Mega Drive, numa infância alegre em que Metroids, Castelvanias e Megamans só eram vistos nas casas de meus amiguinhos. Eu sabia que havia algo errado comigo, mas era covarde demais para admitir. Eu me divertia, mas eles se divertiam MAIS. Eu era feliz, mas eles eram MAIS. Que diabos, a culpa era do videogame? Eu tentei me iludir, mas a coisa só piorou quando um dia saiu Street Fighter 2 para Super Nintendo.

Aí eu quis morrer, né. Mas enfim, meses depois o jogo também saiu para Mega Drive, o Sonic deu uma balanceada, e eu continuei me enganando achando que podia viver num mundo sem Nintendo.

Voltando ao fatídico dia de 2001, quando vi o vídeo pela primeira vez. Eu fiquei maluco, alucinado, me joguei no chão enquanto meus amiguinhos voltaram do passado para me assombrar e aquecer meu corpo congelado pelas chamas do inferno com sua uréia acre e fétida. A Nintendo era mais legal, sempre foi mais legal, e só depois de adulto eu tive os culhões para admitir! E mais do que isso, foi naquele videozinho de 55 segundos que encontrei a principal influência para o novo e mais importante trabalho da minha carreira até então.

Os traços simples, as cores fortes e sem contorno, os olhos expressivos, a animação suave. Na época eu gostava muito de Samurai Jack, mas queria algo mais bem resolvido e tridimensional. E também admirava muito o estilo de Bruce Timm, que com seu Batman revolucionou a animação dos US and A. Resolvi estudar a fundo essas três influências, e em particular, o novo Zelda, que por sua vez era influenciado pelo trabalho genial de Hayao Miyazaki (de Meu amigo Totoro, A Viagem de Chihiro e tantos outros) e um animê clássico de 1971 chamado Os animais e a ilha do tesouro, de Hiroshi Ikeda.

Ainda que a direção de arte do jogo (que viria a se chamar The Wind Waker) fosse algo totalmente inédito na franquia, eu queria entender aquela magia o jogo exalava. Peguei então o N64 do Kibe e debulhei Ocarina Of Time até o fim. Depois ainda joguei Majora’s Mask mas desisti no meio, tudo isso em um ano, tudo isso para me preparar para o lançamento de The Wind Waker. O jogo saiu em 2002, e sim, eu comprei o GameCube só por causa dele. Na verdade eu saí de casa doente, depois de três dias de cama e morrendo de febre só pra comprar o diacho do videogame. Se valeu a pena? Eu escaparia de uma prisão no Panamá só pra fazer isso de novo.

Depois de dois anos, em 2004, meu primeiro livro, Princesas do Mar, foi lançado. O livro já teve duas sequências, a quarta está programada para o ano que vem, quando o desenho animado estréia em diversos países do mundo. Às vezes nem eu acredito.

A influência artística de The Wind Waker e seu criador, Shigeru Miyamoto em meu trabalho são inegáveis e minha gratidão e o carinho são eternos. Mas a principal lição que aprendi foi que, se eu quisesse sobreviver e me estabelecer como artista, eu precisaria romper radicalmente com o meu passado e me reinventar a cada novo trabalho. A vida é feita de fases repletas de perigos e aventuras, que passamos e também inventamos. Ser um herói é muito mais do que receber uma espada e um escudo, é encará-los de frente, de maneiras diferentes e criativas. É assim, eu aprendi, que lendas são feitas. :)

zelda_twilight_princess2.jpg
Link: De uma vez por todas… MEU NOME NÃO É ZELDAAAAAAAAAAAAA!

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

27 Comentários

  • max says:

    eo amooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo muito zelda eu o zelda mudou a minha vida e obrigado por tudo zelda e voc e voc geleu o meu comentario meu nome e max a te logo

  • Pingback: Itiro » Jogo: Super Smash Bros. Brawl (Wii)

  • Rafael says:

    Eu gosto muito de zelda,zelda mudou a minha vida!um dia vo ter dinheiro suficiente para comprar uma espada e ser o Link. gostei muito do Zelda TP e do zelda the Wind Waker ^-^`um dia serei um heroi!e isso uma promessa

  • hahahahahahahahaha

    caramba. eu tenho um pster enorme do Majora’a Mask no meu quarto. Ningum lembra do Majora’s Mask e ele muito legal! Voc tem pelo menos um leitor que tambm teve a vida mudada depois do alemozinho de gorro! ;D

  • Mercrio says:

    Ei, Mega Drive ruleia, no desmerea o console -_-

    SEGA j foi to fantstica quanto a Nintendo, s atualmente que no mais como antigamente…

    Eu no sei pq, mas eu prefiro muito mais o Wind Waker que o Ocarina of Time XD Me atraiu muito mais o WW.

  • Assim como vc, eu tb cresci em meio a Masters e Megas e s jogava SN na casa de um ou outro amigo. Eu sempre quis ter um SN, mas sempre me aparecia a oportunidade de compra um Master ou Mega mais novos.
    Meu atual sonho de consumo um Wii… Ainda chegarei l.

    Abraos!

  • Paul says:

    Opa, alm de ter sido citado, entramos em um assunto que eu entendo. Os primeiros Zelda, l de oito bits, eu no gostava porque falava ingls muito mal e no entendia nada. Mas depois de jogar Ocarina of Time, eu vi que valia a pena aprender at coreano, se fosse para jogar. Catei o GameCubo do Yabu para jogar Wind Waker e, apesar de achar os grficos muito legais, acho que se fossem feitos da maneira mais “tradicional”, o jogo seria at melhor que o Ocarina. Joguei 10 minutos de Twilight Princess do Wii e achei lindo. A Epona t um espetculo. Quando a D acostumar com a idia de eu ter um PS3 e um Wii, compro s para jogar Zelda. E Wii Sports.

  • Pedro... says:

    sim!
    eu ja fui muito burro!
    comprei um super nes ao inves de comprar um n64 pra jogar super mario world e inc. mas graas a isso, eu joguei zeld link the pass, e virei muito f!
    tenho o 4 swords e o minish cap originais, joguei tanto que o cristal liquido do meu gba sp ta estragado hueheuehueh soh funciona jogando no sol!!
    mas tem dias que me da dio, no ano em que compro meu sagrado Sp, vi no extinto G4 o lanamento do Ds, a casa caiu, foi como se eu volta-se no tempo e visse o N64 e eu escolhendo o Snes
    mas enfim
    jogue okami pra ps2 yabu, eho zelda de magias e lendas japonesas, perfeito!, eu sou da nintendo mas para okami eu tiro o chapeu…

  • Gesso says:

    Twilight Princess muito bom. Provavelmente melhor que Ocarina (o que voc s veria se conseguisse deixar a nostalgia de lado). Quando eu comprei o meu pra Wii, em dezembro do ano passado, cheguei em casa e joguei 17 horas seguidas. No dia seguinte, 6 horas seguidas. No seguinte, mais 13 horas seguidas, e eu j tinha zerado. Foram umas 37 horas em 3 dias. Mais dois dias e eu j tinha todos os Heart Pieces. Jogo fantstico.

  • Vinicius says:

    Eu s tenho uma coisa a dizer.
    Graas a deus que meu Wii brickou so apos eu fechar o Zelda.

    Brickou total, n tem concerto, jah era, compra um novo!! Quem mandou desbloquear? T.T

    Nintendo pra sempre sem mais.

  • Joao Luiz says:

    Nintendo para os fracos. Sega FTW!

  • Fernando Ndo says:

    Nunca joguei Zelda.

  • Godzilla says:

    [Comment ID #57813 Will Be Quoted Here]

    Real men, don’t need to level up! XD

    engraado, sempre notei a semelhana com o Wind Waker mas nunca somei o 1 + 1. ^^’

    O mais engraado ver a semelhana no seu histrico de video-games com o meu. Tb comecei com a Sega, Alex Kidd e Sonic eram a minha vida, depois consegui o SNES, que estava nos seus ultimos anos, mas tive tempo suficiente para conseguir Super Metroid. /o/

    Depois disso vivi um tempo nas trevas, mas alimentando os anos que no tive com a Nintendo atrves de emuladores, at finalmente ser resgatado por Ocarina of Time, que jogo com gosto at hj, mesmo conhecendo todos os pixels daquele jogo.

    T e s recentemente eu consgui um NGC e logo vou atrs do Wind Waker (antes que parem de vender XD) enquanto espero ter a minha chance de ter um Wii.

    Mas apesar de tudo, prefiro Metroid. Ninguem barra a minha Samusinha! XD~

    *vou longe aps receber um Super Missile nos fundilhos*

  • Rubens XD says:

    Paper Mario de Gamecube um jogo obrigatrio! Tome vergonha na cara e jogue! infinitamente melhor que o de N64, e talvez at melhor que o do Wii!

    E, Tenacious D /o\

  • Kasmanas.. G. says:

    Nunca vou esquecer de quando eu passava dias inteiros terminando Ocarina of Time e Majora’s Mask, aos 5 aninhos, na casa de um amigo muito especial.

    Pois . Eu adoro pagar pau para o seu trabalho!

  • unk says:

    Eu no aceitei a verdade ainda, Yabu. Amo meu ps2 e nunca joguei nenhum segundo sequer de nenhum zelda. Me empresta o gamecube?

  • Jo says:

    alis…

    “Ser um heri muito mais do que receber uma espada e um escudo, encar-los de frente, de maneiras diferentes e criativas.”

    Se eu no achar uma espada pra encarar eu nunca posso ser um heri? =(

  • pedruh says:

    Linda historia T T
    Isso me lembra no ano passado quando eu peguei minha poupana soh pra comprar um PS2 e jogar “superman returns” e ao contrario de vc, eu me arrependi amargamente mas pra me consolar eu comprei tb shadow of colossus! esse sim foi o jogo que mudou minha vida, comecei a admirar paisagens, escutar sinfonias,filosofar, dentre outras coisas…

    Se vc tiver um tempo livre vc podia jogar tb! eh bem parecido com zelda .)

  • Jo says:

    Hype e over-rate, isso que eu digo!Mas pra no iniciar um debate ideolgico, vou inflar seu ego dizendo o quanto voc superou a arte do Wind Waker que eu particularmente odeio, transformando numa coisa que eu acho mais agradvel.

    (at porque o link do wind waker pinta ou os cabelos ou a sobrancelha =o)

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #57775 Will Be Quoted Here]

    HIGH FIVES!! _o/

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #57807 Will Be Quoted Here]

    Jogue Ocarina of Time, Wind Waker ou Minish Cap, e veja o que separa os meninos dos HOMENS.

  • marcus says:

    Histria tima.

    Mas o nico Zelda que joguei (e no terminei) foi o primeiro lanado para NES. Achei um saco. Ser que devo dar uma nova chance franquia?

    Sim, sou fanboy da Sony.

  • Ah, Yabu, assim no d!!! Quando eu tento ser uma pessoa normal e parar de pagar pau exageradamente pro teu trabalho (afinal, eu quero ser teu amigo, no teu f chato), tu vem e me diz que o trao das Princesas assim por causa de Zelda?! Que, no por acaso, o nico nome de jogo que me causa arrepios sempre que aparece na tela de uma TV?

    Tu muito foda, cara. Como dizem os americanos, “plz, will u have my babies??!!”

    uhauhauhauhauh!

    Foda. :D

    Zelda, cara. Wind Waker. Foda. :P

  • MICHEL says:

    Foi em 2002 Yabu! Eu fui testemunha!

  • Tomy says:

    Bonita histria…

    Mas tenho que fazer uma correo no comeo: o Kimi salvou sua honra (eu ainda estava frio e no lembrava como sacar “bombinha”), mas o Lucas sucumbiu de maneira quase to humilhante quanto voc… muahahahaha



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube