Merda pra você - YabloG!

Merda pra você

setembro 13th, 2007 | Por Fábio Yabu em Crônicas

Eu tinha uma grande amiga, sabe? Há mais de 10 anos, íamos pra escola juntos, estudávamos para as provas, fazíamos trabalhos e, junto com nosso professor de matemática alcoólatra e nossa professora de sociologia semi-analfabeta, sepultávamos de vez o ensino público no Brasil. Era divertido.

Aí veio a formatura, a faculdade, os anos passaram e a vida naturalmente nos separou. Nada contra também, acontece, ué.

Depois de uns anos a gente se reencontrou. Eu não achava que as coisas seriam como antes, aliás, a coisa mais deprê que tem é encontrar amigos da adolescência e ver que eles continuam ouvindo Legião Urbana. Aí eu entendo porque a vida fez questão de nos separar. Mas enfim, foi legal reencontrá-la, sabe? O ambiente era  outro, ao invés  do refrigerante e da coxinha na cantina da escola, ela tomava vinho e eu comia um prato vegetariano sem gosto mas maior saudável. Saímos outras vezes pra comer pizza, sushi e fatias de peixe que custavam mais do que nossas mesadas no tempo da escola. Isso é uma das coisas legais de ser adulto, quando você tem que pagar pela própria comida você é obrigado a apreciá-la.

Conversávamos sobre um monte de coisas, ela me falava do trabalho e das viagens ao redor do mundo, de quem ela achava que ia ganhar o America’s Next Top Model, dos caras que ela tinha sacaneado e vice versa. Ela falava do sonho em fazer teatro, e eu, bom amigo que sou, dava o maior apoio. Até porque eu achava que seria só uma fase.

Ela foi lá e se matriculou no curso. E eu até fui pagar mico assistir a primeira aula com ela. Fingi que era semente, árvore, onda do mar. E a partir daí, todas as vezes que a gente se encontrava era uma alegria. Pro inferno o mundinho corporativo, as melhores práticas, as milhas aéreas acumuladas pra fazer apresentações em Powerpoint. O papo agora era como o teatro era maravilhoso. Teatro performático, horizontal, vertical, perpendicular. Ela só pensava em rasgar o MBA e tirar o DRT.

E eu lá ouvindo pacientemente aquela fase que parecia que ia demorar mais do que os três anos do colegial.

Mas beleza, sabe. Eu sou brother mesmo.

“AAahh mas os amigos do teatro.”

Porque assim, sabe. Se tem algum amigo meu na merda eu sou o primeiro a chegar e oferecer a mão.

“Tão legais os amigos do teatro. Tão descolados!”

Se o cara não quiser, beleza, eu me afundo na merda e a gente só sai de lá junto.

“Eles fazem malabares.”

Porque os amigos são a família que a gente escolhe, né?

“Se pintam de palhaço nos shows do Teatro Mágico.”

Mesmo quando eles fazem coisas esquisitas. Brodagem, cara. Brodagem é isso.

E o brother aqui seguiu firme, ouvindo sobre os amigos engolidores de espada, fogo e ácido desoxirribonucleico. Foi então que eu peguei carona num pequeno hiato formado entre a sinopse de uma peça sem sentido e outra e falei todo feliz:

“Ah, então. Vou viajar mês que vem. Vou pra Europa.”

“Ah, que bacana. A Europa é outra coisa, né?”

“É, outra coisa. (???)”

“Legal. Sucesso pra você. Olha só, eu te falei que vou fazer a dancinha do Máskara no teatro?”

(…)

Manja quando a cena congela ao som de um skratch? Naquela hora eu virei o rosto pro lado, arregalei os olhos e enquanto enumerava 42 razões pra eu ter odiado o Máskara, tentava me lembrar aonde ela esteve nas últimas 17 vezes em que saímos pra não saber patavinas da minha vida. Tipo, ela não perguntou se eu estava indo a passeio, a trabalho ou pra reabrir o Partido Nazista. Até porque eu nunca tinha falado nada por absoluta falta de oportunidade. Primeiro eu era soterrado pelas conversas sobre o trabalho, depois esmigalhado pelo teatro. Eu é que não queria estar por perto quando ela descobrisse as maravilhas da terapia ortomolecular.

Foi então que, Deus!, eu percebi ela nem sabia direito qual era o meu trabalho. Sei lá, alguma coisa com desenho talvez? Umas meninas pré-púberes seminuas no fundo do mar, né? Como num filme do Shyamalan, eu passeei por vários flashbacks com ela e vi que em nenhum deles eu era um personagem. Eu era só um coadjuvante, um fantasminha camarada, a claque que a aplaudia e sorria falsamente naquele insuportável curso de teatro.

Os flashbacks acabaram, eu voltei pro presente e ela fez questão de me lembrar a maldita cena de dança do Máskara.

Semanas depois, eu acabei indo na apresentação dela, ver a tal dancinha. Era só eu no meio de um monte de gente com sandália de dedo, bermuda, moleton e óculos retangular. Talvez eu não devesse, mas fui. Acho que eu devia isso a ela, e que no fundo quem estava errado na história toda era eu. Por desde o começo ter vestido a carapuça de amigão, chegado, brother e ter esquecido que amizade é uma via de duas mãos. No final da peça (bem chatinha por sinal) ela veio, me abraçou, agradeceu por eu ter ido e disse que não tinha muito tempo pra falar porque tinha que ficar com o “pessoal do teatro”. Claro. Mas disse pra eu ligar pra ela na semana seguinte pra gente sair e comer um sushi. Sei. Foi a última vez que nos vimos, eu não liguei, ela não ligou e tudo voltou a ser como era antes de nos reencontrarmos. A única diferença é que eu peguei uma puta birra de teatro.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

41 Comentários

  • Victor S.L. says:

    Perder amigos uma merda, principalmente quando no a vida que te separa deles e sim eles mesmos, acaba estragando as boas lembranas e a iluso de que tudo seria sempre igual entre vocs.

  • Belo texto.

    Me lembrou uma situao que aparece acho que em uma das histrias da morte do sandman (ou em algum outro lugar o.0) que quando voc esta com uma pessoa que para voc parece ter muita importancia, e voc comenta um momento que foi fabuloso entre os doiis, e a outra pessoa simplesmente se esqueceu, no se lembra…

  • Keitaro says:

    [Comment ID #61994 Will Be Quoted Here]

    Duh, s baixar na internet. :P

  • Godzilla says:

    [Comment ID #61850 Will Be Quoted Here]

    Como no coisa de Nerd? Querem me tirar a unica coisa que me faz me sentir especial? XD

    Ah! de nerd sim, vai. Afinal, quem mais seria maluco de colecionar revistas em quadrinhos que custam os olhos da cara? ^^’

    Enfim, uma merda mesmo vc conviver com alguem por tanto tempo e no final ver que vc s “um carinha legal” que ela conhece e no o Fabio “um carinha legal que faz uns desenhinhos na internet, que publicou um livro que virou desenho l ‘nasoropa’”. Meio como se vc fosse invisvel e s estivesse ali para que ela no parecesse maluca ao falar sozinha…

    … bem comum… Uma droga, mas comum…

    Bom, eu ainda acho que vc devia zoar com ela e dar de presente um exemplar das Princesas, alo do tipo: “Olha s, fui numa livraria e pensei em vc.” XD

  • Padula says:

    Sensacional esse texto. Me caguei de rir na parte do Teatro Mgico, bateu uma ‘semelhana’ =P

  • Carol says:

    Yabu, sabe aquelas pessoas q mal acabaram de te conhecer ja comeam a te paparicar, dizer que foi muito bom conhecer voc e que voc um amigo mais do que super hiper especial? quase 100% de acerto que essa pessoa igual a esta usa “amiga” do texto.

  • Keitaro says:

    Qual seu problema com culos retangulares? =P

    Eu hein… Ainda nem acredito que ela no sabia do seu trabalho. At eu sei :P

    Ei, mang no coisa de nerd. Foi-se o tempo que era :P Hoje tem mang pra todos os tipos, tamanhos e gostos. No sou otaku babo, mas tambm no sou f negligente =D
    E, se tem um grupo a qual o mang no pertence, nerd. *V milhes de pessoas normais lendo Death Note e Naruto* Se bem que… Naruto conta?

  • nigel says:

    eu j acho que se 1000 idiotas gostam de alguma coisa deve vai ver, sei l, so 1000 idiotas, um numero grandinho.

  • Maya Cimionatto says:

    I`m back!

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #61272 Will Be Quoted Here]

    No foi um texto sobre o teatro em si, mas o retrato de uma cena onde o teatro era o pano de fundo. Se voc ficou ofendido, me desculpe… ;)

    E no fico bravo quando falam de videogame coisa de criana e mang de nerd… porque so mesmo, u! :P

  • Carol says:

    O mundo assim cheio de gente assim. Pessoas que colecionam “amigos” como se fossem figurinhas. Colam no lbum ( ou na agenda ) e esquecem em algum canto. por isso que eu nem ligo de ser taxada de anti-social :P

  • Nem sempre ruim ser coadjuvante. Um lance meio de ouvir mesmo, no to chato. Tem que entender que pessoas so diferentes. Algumas pessoas funcionam numa mo s, como voc disse. Isso no tira a profundidade dela. Vai ser difcil essa menina se tornar sua melhor amiga, mas nem s[o de melhores amigas se vive o mundo…

  • cilon says:

    [Comment ID #61326 Will Be Quoted Here]

    Uma espcie de maluco que se orgulha de comer comida sem gosto. Precisa dizer mais?

  • Erika says:

    H algum tempo que vejo seu blog, mas s agora tive coragem de postar algo. >.

  • ronalds says:

    Pultz Yabu to ruim quando isso acontece n?Perceber que seus amigos s esto te sugando enquanto no arranjam uma coisa “melhor” para fazer.Ou ento ver que na verdade o que eles querem que voc se de se f*** para se sentirem melhores.Bom acredite ou no, a ultima vez que eu vi isso foi tipo quinta feira no trabalho…
    Valeu Yabu eu realmente me identifico com muita coisa que voc escreve.

  • Igor says:

    [Comment ID #61169 Will Be Quoted Here]

    Acho que do pior tipo cara….

  • Haha! Male Unbounding, verdade!!

    No caso do Yabu no foi “Male”, mas a referncia foi vlida! Eu ri. :P

  • Amicow says:

    Agora que eu vi uma incoerncia no texto.. logo aps “Se tem um, ou dois, ou trs, ou mil idiotas que gostam de algo, no quer dizer que esse algo seja ruim.” era pra eu ter citado exemplos diferentes (isso que d no revisar o texto antes de mandar).

    Logo ali o certo seria:
    No s porque aquele nerd da sua sala que no fala com ningum gosta de mang, que o mang seja algo ruim. No s porque todos os mais espinhentos da sua escola gostem de video-game, que o video-game seja um veculo transmissor de acne. Da mesma forma que o contrrio tambm se faz verdadeiro: no quer dizer que todos que gostam de algo sejam iguais. (a continua o texto de onde parei).

    Sorry.

  • Filyppe says:

    E Yabu…

    Cara, eu sou seu f.
    Se vc acha que s a histria pode dar a algum o ttulo de escritor, eu comeo aqui uma campanha para que voc seja assim reconhecido, sabe?!
    Se somos ns que fazemos a histria..

    Voc descreve o sentimento de muita gente como ningum..

    Boa sorte nas prximas tentativas de amizade!

  • Amicow says:

    Bem, voc t generalizando de uma forma preconceituosa.

    Voc deve ficar terrivelmente bravo quando algum fala que video-game pra crianas. Ou que mang coisa de nerd. E est fazendo exatamente o mesmo que essas pessoas.

    Eu frequento o teatro h uns 3 anos, e a quantidade de pessoas vestidas como voc descreveu mnima. Nem nas peas mais “undergrounds” tinha tanta gente pseudo-intelectual. Porm, claro, teatro suga muita gente egocntrica, devido sua estrutura expositiva. Mas isso no quer dizer que o Teatro seja uma porcaria. Se tem um, ou dois, ou trs, ou mil idiotas que gostam de algo, no quer dizer que esse algo seja ruim. No s porque tem milhares de brasileiros que gostam de ax que todos os brasileiros gostem. No porque quase todo mundo se mata de beber e fazer baderna no carnaval que voc ou eu faamos isso. E vou at mais longe: no porque algum pobre marginalizado roubou sua carteira que todos os pobres sejam ladres. Na realidade no quer nem dizer que 0,5% ajam de m f nas suas atitudes.
    O que acontece, e o que aconteceu no seu exemplo, foi que apenas um indivduo acabou destruindo com a imagem de toda uma classe.

    Por isso bom repensar vrias vezes antes de ficar bravo com algum que teve algum preconceito em relao a suas atitudes. Afinal, voc mesmo semeia isso.

  • Filyppe says:

    [Comment ID #61143 Will Be Quoted Here]

    s vezes eles tambm so de Histria, ou Geografia…
    Muitos fumam maconha e curtem tambm o Lenine e o Zeca Baleiro.

    Ahh.. e eles andam com aquelas roupas tipo “Pai Helinho”, vrios colares de sementes e algumas pulseiras de coro.

    Quando precisam fazer provas, sempre aparecem de Havaianas e somente com uma caneta na mo.

    E sabe… eles so “o mximo!”

  • Natz says:

    Sei qual. Voc deveria usar aquela camiseta que o Casseta&Planeta divulgava: V ao teatro, mas no me chame.
    Ou algo do gnero.
    E sei qual quando vc ouve o amigo e ele no te ouve, nem te conhece. S t l vomitando a vida dele pra quem quiser ouvir, mas ele no ouve ningum. I’ve been there a lot!

  • Renk says:

    Nossa, impossvel no lembrar daquele episdio do Seinfeld que ele queria “terminar” com um amigo dele. Da primeira temporada, quarto episdio, “Male Unbonding”.

  • Paul says:

    Quando no existia cinema, home theater,, dolby digital pro logic surround sound, DTS, HDMI e afins, talvez o teatro fosse uma boa diverso.

    E uma coisa que eu no consigo entender porque as pessoas precisam tanto pertencer a alguma coisa. Se no fosse a turma do teatro, seria alguma outra coisa, Talvez at herbalife! ;P

    Mas conta a: como a dancinha do Maskara?

  • Firefly says:

    Eu bem avisei pra voc fugir enquanto as portas do teatro ainda estavam abertas!

    Mas no, voc resolveu esperar a participao fantstica e corporal enquanto pseudo intelectual artstica com nuances de sensibilidade e uma pitada de sarcasmo a respeito da nossa crise a nvel de realidade atual, virtual e mundial!

  • Tomy says:

    hahahaha… bem-vindo ao clube!

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #61134 Will Be Quoted Here]

    J dizia Bussunda… “V ao teatro mas no me chame!” ;P

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #61107 Will Be Quoted Here]

    5 anos e meio?? MAS QUE ESPCIE DE MALUCO VOC?????

  • Fbio Yabu says:

    [Comment ID #61101 Will Be Quoted Here]

    Eu no consigo… s consigo ficar quieto e pensar “wtf am I doing here…” -_-”

    Muito obrigado pelo link, by the way. :)

  • Limo says:

    eu desprezo esse tipo de gente, alias, acho que at por uma diverso particular, eu seria capaz de me interessar pelos assuntos de uma pessoa assim por cinismo, sem ela perceber, enquanto eu me divirto sozinho com o meu cinismo…

    algo do tipo

    “srio???? conta mais!!!!”

  • nigel says:

    [Comment ID #61111 Will Be Quoted Here]

    existem atores, e existe aquele pessoal pseudo intelectual que faz malabares e se acha melhor que voc porque gostou de algum filme muito chato, e esse pessoal as vezes do teatro, as vezes de letras, no mximo de belas artes.

  • nigel says:

    huahua teve gente que achou o texto triste, mas eu ri muito na parte da brodagem. Voc est certo cara, acho que voc pensa como eu nessa parte de o tempo separa as pessoas mas isso nem uma coisa ruim. Mas voc tambm forou uma amizade ai, sei l, eu no sou o seu psicologo no, mas voc tava esperando muita coisa dela. Tem amigos que so para todas as horas, e tem amigos que so pessoas que aparecem do nada e legal. igual um lance que voc falou sobre charuto e nintendo wii, no da pra querer repetir o charuto e o nintendo wii, mas quando acontece legal.

  • miya says:

    bem, amigos de mo nica so fogo mesmo… Nem vou comentar.

    Mas teatro… O teatro em si … T bom, t bom, eu tambm tenho uma birra absurda de teatro. Por que eu at gosto de ir a BOAS apresentaes mas… Os atores…
    Primeiro por que quando eu era pequena eu fazia teatro e odiava por que eu era excluda e ningum queria falar comigo. Depois por que eu fiz de novo mais tarde e a professora era u. E hoje por que as pessoas do teatro que eu fazia se acham a 8 maravilha cult.

    ah, que vo a merda! Sou muito mais ficar em casa vendo Heroes…

    ah , alis… Cara, eu sou sua f MESMO.

  • Kasmanas.. G. says:

    eu queria sempre pedir pros meus amigos que me falem se estou sendo egocntrico
    que triste isto da sua conhecida.. perdeu a amizade de um cara como VOC!
    voc , tipo, o Fbio Yabu meu!

  • Giselle says:

    tipo assim

    vc totalmente meu heri!!! :) ;) :D

    eu aqui…tentando achar a palavra certa…e pronto…sou totalmente coadjuvante
    foi um pouco chato qnd eu cai na real, s sei q depois foi totalmente libertador…

  • bruN0 says:

    Eu s queria uma coisa, rapaz…
    No pegue birra de teatro pelos maus atores. E principalmente pelos amigos de mo nica. D uma chance s apresentaes.

    Mas quanto a ela? Bem… voc sabe direitinho a resposta. :P

  • Sandra says:

    que merde, hein?

    Yabu menino de bom corao!

  • Igor says:

    Cara, me via agora em uma das conversas que tenho com a minha namorada (So 5 anos e meio!!!!!!!!), igualzinho!!! at o barulho de scratch com sou interrompido pra ouvir mais uma da chefe dela, ou sobre a av da amiga, ou sobre o cachorro da sobrinha da colega…….Esse texto conseguiu dizer oque eu nunca consegui….Valeu Yabu!

  • Cintia says:

    Tenho vrios amigos/parentes egocntricos e sei exatamente do que voc est falando. s vezes, de propsito, respondo falando sobre mim a cada coisa que eles falam de si mesmos. Eles comeam a ficar irritados e no podem reclamar – divertido! >:o)

  • Karinny says:

    P que triste heim? Deu at vontade de chorar :(
    Acho que todo mundo j passou pro essa situao de “se tocar” que o cara no mesmo seu amigo. ..
    Mas tudo bem, tomara que ela leia o post e se toque!
    E quem precisa mesmo de amigos quando se tem fns :P



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube