Beowulf – Uma resenha engraçadinha - YabloG!

Beowulf – Uma resenha engraçadinha

novembro 29th, 2007 | Por Fábio Yabu em Resenhas

angenipples.jpg
No Angenipples for you!!!

Assisti ontem à mega-boga pré-estréia de Beowulf, exclusiva para 300 omeletenautas sortudos, e, é claro, a nossa boa e velha panelinha. Quer saber o que achei?? Não? E quem se importa, o blog é meu mesmo e eu escrevo o que eu quiser, tá? >_<

Beowulf é inspirado num antigo poema inglês, datado do século 8 que conta a história de um guerreiro que salvou a Dinamarca de três monstros: Grendel, sua mãe (ficou engraçado isso) e um dragão. O filme foi dirigido por Robert Zemeckis, e utiliza a mesma técnica de O Expresso Polar, que captura os movimentos e feições dos atores e os transforma em animações 3D. Eu nunca entendi muito bem por quê fazer isso, uma coisa é transformar o Mike Myers no Shrek, outra é transformar o Tom Hanks no… Tom Hanks! Enfim.

Mas em Beowulf até dá pra entender. Mesmo em tempos de Transformers e Homem-Aranha 3, muito do que se vê no filme não seria possível num outro “normal” (ainda que nenhum dos exemplos anteriores tenha muito mais carne humana que Beowulf). A tecnologia ainda não permite criar seres humanos perfeitos na tela, falta ainda aquele 1% que faz toda a diferença, e Beowulf foi o que chegou mais perto disso.

O roteiro é um pouco simples, mesmo tendo sido adaptado por Neil Gaiman. É bem linear e, até certo ponto, teatral, cheio de discursos poéticos e bem entonados. Mas o que faltou de história sobrou de ação e efeitos. Assistir a Beowulf numa boa sala com os óculos 3D é uma imersão divertidíssima. A todo momento você se pega se desviando de pedras, lâminas e chamas que parecem voar da tela, e percebe que a sala inteira faz a mesma coisa antes de rir a própria ingenuidade, que remete aos relatos das primeiras sessões de cinema, realizadas pelos irmãos Lumiére há mais de século.
E falando em reações… algumas cenas causaram as mais adversas no público e fizeram o Rei Xerxes, de 300, parecer o Chuck Norris de tão macho. Cara, conselho de amigo: nunca diga “Pegue a minha espada” para um homem que gosta de andar pelado na frente dos outros. As insinuações sexuais atingem um novo nível quando Beowulf se pega com o vilão totalmente nu, com o dito-cujo escondido apenas por sombras, fumaça, ou pontas de flechas. Ainda bem que tava frio. Aí você não sabe o que faz; se presta atenção na luta ou se fica com medo de que algo indesejado esbofete a sua cara. O herói paga bundinha, os homens dão risada, as mulheres deliram, a luta termina e graças a Odin, o único membro que apareceu balançando na minha cara foi o braço do monstro.

beowulf.jpg
- I WAS AT THE SWIMMING POOL!!!

Enfim, é um pipocão (PIPOCÃO EU FALEI!!) da melhor qualidade. Pensando bem, eu não falei nada, vá ver o filme que você ganha mais!

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

13 Comentários



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube