Review: Dimensão DC – Lanterna Verde #01 - YabloG!

Review: Dimensão DC – Lanterna Verde #01

outubro 7th, 2008 | Por Fábio Yabu em Sem categoria

Pois é, faz um tempinho que eu não comento de gibis aqui. Eu não tenho lido quase nada a não ser TPs ou álbuns mais autorais como Persépolis. É triste ver que os lançamentos de qualidade tem se tornado cada vez mais escassos, e, por mais que eu ame quadrinhos e me considere uma pessoa razoavelmente inteligente, eu simplesmente não consigo entender o que se passa nas histórias da Marvel ou da DC. É um samba do crioulo doido, nego morre, desmorre, ressuscita, desressuscita. Acho que nem o Sheldon, do Big Bang Theory consegue entender o que se passa naquelas histórias.

Mas tem uma história aqui da qual eu PRECISO falar, e o herói você já sabe quem é: o Lanterna Verde. É uma época de alegria para mim. Pela primeira vez na vida tive a oportunidade de comprar uma revista MENSAL do Lanterna Verde no Brasil. O herói mais cabuloso dos quadrinhos sempre ficou relegado às migalhas das revistas do Super-Homem ou da Liga da Justiça. Agora, a Panini, é, a Panini, a mesma que cancelou meu gibi, me largou na rua da amargura, na fila do desemprego, no leito do SUS e me fez vender um rim e meus três filhos, simplesmente reconquistou meu amor incondicional ao publicar de forma tão caprichosa aquela que é A MELHOR HISTÓRIA DO LANTERNA VERDE DESDE OS TEMPOS DO ALAN MOORE. OH, PANINI, EU TE AMO, PANINI! PEGA EU, PANINI!

Aham. Deixa eu recuperar a compostura.

Pois é. DIMENSÃO DC: LANTERNA VERDE, traz em suas verdes e abençoadas páginas a saga “A Guerra dos Anéis” (The Sinestro Corps War). O que rola? Como eu gosto de tudo explicadinho, vou começar do princípio:

Os Lanternas Verdes são uma espécie de polícia intergalática. Cada setor do universo tem 2 ou mais desses guerreiros, que como arma possuem um anel energético capaz de realizar qualquer desejo, com exceção de criar ou tirar vidas. O maior dos Lanternas Verdes é o terráqueo Hal Jordan, que durante anos lutou contra as forças do mal, ao lado de seus companheiros de tropa, ou da Liga da Justiça.

Seu principal inimigo era o ex-colega SINESTRO, um Lanterna Verde renegado que forjou para si um anel amarelo, com poderes semelhantes ao dos Lanternas. Durante anos, Sinestro tentou em vão destruir Hal Jordan e a Tropa, mas a desvantagem numérica sempre falou mais alto… até agora.

Sinestro resolveu usar um pouco sua cabeça avantajada e saiu recrutando os alienígenais mais sórdidos do universo. Cada um deles recebeu um anel igual ao seu, e o objetivo de aniquilar sem piedade todo e qualquer Lanterna Verde.

E a coisa fica mais divertida ainda: lembra quando você era criança e imaginava o que aconteceria se o Super-Homem tivesse o anel do Lanterna Verde ou o cinto de utilidades do Batman? Pois é: entre os “recrutas” de Sinestro, não estão só alienígenas feios e bobos, mas alguns dos supervilões do primeiro escalão do Universo DC: o Superciborgue, o Superboy Prime, a entidade do medo Parallax e ninguém menos que o ANTI-MONITOR – o grande vilão do clássico Crise nas Infinitas Terras. Juntos, os vilões empunham seus anéis amarelos e DESCEM O SARRAFO não só na Tropa, mas em praticamente todo mundo no Universo DC que usa roupa colante.

A história, de Geoff Johns, é o sonho de todo fã do Lanterna Verde e também do Universo DC. Johns conseguiu juntar os principais elementos de décadas de histórias, passando por Alan Moore, Crise nas Infinitas Terras e até os anabolizados anos 90, numa narrativa envolvente da primeira à última página da saga, sem perder o ritmo. Muito mais do que uma história do bem contra o mal, “A Guerra dos Anéis” é um intenso conflito psicológico entre a força de vontade e o medo, no qual nenhum dos dois está totalmente certo ou errado. Enquanto os heróis fazem a contagem de corpos e pensam em revidar à altura, os vilões riem por terem conseguido tornar a barreira entre os dois lados cada vez mais tênue.

Apenas poucos defeitos permeiam a história, mas não chegam a tirar seu brilho: um deles, é a indefinição  dos uniformes da Tropa Sinestro, inicialmente azuis ao invés de amarelos. O símbolo da Tropa também foi criado pouco antes da primeira edição, e antes era mostrado como um simples círculo amarelo. Já uma coisa que me incomodou um pouco na edição brasileira foi o título “A Guerra dos Anéis”, que ao meu ver não traz o mesmo significado que o original ao pé da letra “A Guerra da Tropa Sinestro”. Eu também gostaria de ver mais ação com os vilões principais, mas acontece tanta coisa na história que sobra pouco espaço para tanta vilania.

A arte é de Ethan Van Scrier e do brasileiro Ivan Reis, dois dos desenhistas mais talentosos da atualidade. Simplesmente imperdível!

Confira também o Hotsite feito pela Panini, que explica mais sobre as duas tropas: A Guerra dos Anéis, e também traz HQs online sobre as duas facções.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

11 Comentários

  • Hiroshi says:

    Muito boa essa saga, n Yabu? Eu sou fanzo do Verdinho, tenho alguns posts sobre o Lanterna l no blog.
    http://www.blogdohiroshi.com/2008/10/lanterna-verde-1/

  • Li a saga toda e ADOREI.

    Havia alguns anos que no lia nada to bom quanto isso.

    por gibis como esse que se v o potencial de um filme bem dirigido e editado com o Maior de Todos os Lanternas Verdes – Hal Jordan.

    O vero de 2010 j tem garantido seu grande heri nos cinemas.

  • Sonic says:

    t na hora do sries round’up

  • nerdherd says:

    Carai velho! rsrs eu cheguei em casa agora a pouco e ia exatamente comentar no seu ultimo post e mandar voc ler essa revista, eu a comprei antes de ontem para ganhar o chaveirinho,s para isso porque ja tem tanta coisa que eu no sei sobre o universo dos superseres da DC que realmente s queria o chaveiro, mais minha cabea explodiu, muito boa…..s espero que continue assim e que a panini no embole o meio de campo e coloque essa saga em outros titulos para nos obrigar a comprar.Eu espero que fique nesse titulo e somente com essa historia, sem mais nenhum encapuzado da DC para encher o saco.

    Detalhe, o filho da puta do Kyle Rayner sem que eu soubesse, virou um tipo de guerrero lendario dos lanternas, sem anel caralho minha cabela explodiu de novo.

    O pouco que ganho no estagio vai ter que bancar pelo menos essa revista, no perco por nada!

  • Keitaro says:

    Lanterna Verde *-*
    Eu nunca acompanhei nenhum HQ (s da Turma da Mnica), porque… bem, no sei porque, mas eu me arrependo muito de no ter feito isso quando criana, quando as HQs nao estavam j to… loucas.
    Agora eu sei que eu nao tenho chance de entender tudo que j aconteceu com todos esses personagens dessa saga, mas eu vou tentar ler (mesmo que nao consiga 100% de aproveitamento).
    A propsito, mas mudando totalmente de assunto, voc desenhou aquela boneca da Pampili?
    Pois , o trao parece muito com o seu, ento… eu fiquei na dvida. Mas que parece, parece. Se no tiver sido tu, tu podes ver no site da Pampili, l deve ter. ‘-’ que eu nao achei no Orgoolo (esse foi o pior trocadilho que eu j vi).

    Enfim, boa leitura :D

  • Eduardo says:

    Lanterna Verde meio neh…. sei l nunca me chamou a ateno, principalmente pelo fato dele ser verde. Sou um cara mais Homem Aranha da vida :P

  • Rafa says:

    Eu sou f da Marvel. Adoro quase todos os personagens da Casa das Idias. Mas estou me sentindo abandonado e um pouco trado (por que no?) com esse arco de invases aliengenas, com um monte de gente que morreu e voltou e um monte que voltou e morreu.
    Da DC eu sempre AMEI o Lanterna Verde. Tanto o Kyle como o Hal esto no meu corao disputando o primeiro lugar (e espero que essa disputa demore muito tempo). Porm as HQ’s daqui no davam todo brilho que nosso Gladiador Esmeralda merece. Mas voc tem razo Yabu. Ontem comprei e devorei essa edio! Est TEEMA!
    Finalmente nosso heri est brilhando em nossas terras =D

  • pedruh says:

    A marvel, graas a guerra civil, e uma suposta invaso alienigina, ficou um pouco bagunada msm, voc praticamente precisa comprar todas as revistas pra entender o que esta acontecendo e isso meio revoltante, mas, se voc entender o que se passa, at uma leitura agradavel :)

    No sou muito f da DC mas confesso que fiquei curioso com essa revista acho que vo comprar XD

  • Junto com o Flash, o Lanterna meu personagem favorito da DC. Mas como eu era moleque nos anos 90, prefiro o Kyle Rayner ao Hal Jordan :P

    Mas, anyway, sou marvete, ento quem se importa?

  • Paul says:

    PUTS!!!! No posso deixar de perder! :P

    Mas se voc achar uma roupinha de laterna verde para o Pedro, eu deixo ele usar. :D

  • Sylar133 says:

    HA! Isso eu preciso comentar 8D

    Caraaa… essa revista foi simplesmente um dos melhores (se no o melhor) lanamentos da Panini no ano *–*~
    Meu Deeeeeus… tipo, sem palavras pra descrever essa historia! *0*~

    Aaah… e soh um toke, Yabu: vc esqueceu d colocar os nomes Dave Gibbons, Patrick Fleasin e Angel Unzuetta, os criadores do 2 capitulo… sei q eles naum so taum bons quanto o Johns e o Reis, mas eles tambm so criadores, neh? ^_^

    Boom… eh isso…
    Aguardando a numero 2 ansiosamente *0*~



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube