Resenha MSP 50 - YabloG!

Resenha MSP 50

setembro 21st, 2009 | Por Fábio Yabu em Criações

MSP50Mauricio de Sousa é um raro caso de brasileiro que não precisou cruzar o oceano para ser reconhecido entre os seus. No país onde todo mundo é juiz de futebol, todo mundo também é crítico de literatura, cinema, música, quadrinhos… O que vem daqui de dentro, nunca parece ser bom. “Princesas do Mar é brasileiro?” é uma pergunta que ouço semanalmente. “Nossa, parece americano!”, completam, perplexos, os incautos.

Será só uma exigência exagerada, ou será que acreditamos mais no crivo dos americanos e europeus para sabermos o que é bom e o que não é? Seja qual for a resposta, centenas – sim, a conta é essa – de talentos brasileiros estão espalhados pelos melhores estúdios e cursos de graduação mundo afora. De produtoras desconhecidas na Islândia, passando por Disney, Marvel, Ghibli, Pixar, estamos produzindo filmes, animações, games e quadrinhos “para gringo ver”. E, quem sabe, um dia brasileiro também possa.

Oportunamente, em seu cinquentenário de carreira, Mauricio de Sousa reuniu 50 dos desenhistas brasileiros mais reconhecidos da atualidade para lhe prestar uma homenagem. Sob a batuta de Sidney Gusman, que compilou o material, eu e os outros 49 aceitamos o desafio de peito aberto. Como de praxe, muitos deles são “filhos pródigos”, com suas carreiras estabelecidas no exterior, enquanto caminham anonimamente entre nós. Ivan Reis, Renato Guedes, Julia Bax, Erica Awano e tantos outros. O resultado, MSP 50 – Mauricio de Sousa por 50 Artistas, é pra deixar o patlão cheio de orgulho – e a gente também.

Porque, como diria nosso presidente, “Nunca na história desse país se fez um álbum assim!“. A partir da genial abertura de Laerte, tem absolutamente de tudo: charges, tiras, ficção científica, non-sense, de Angeli a Ziraldo, passando por Fernando Gonsales e o estreante Vitor Cafaggi, que também é a grande surpresa da coletânea.

É exagero dizer que todas as histórias são boas. Estatisticamente, não tinha como todos os 50 acertarem a mão, mas como co-autor, não cabe a mim julgar meus colegas. Que cada um leia e tire suas próprias conclusões. Apenas uma história me deixou realmente desapontado, talvez devido à expectativa que já acompanha seu criador – que parece não ter entendido quem era o homenageado em questão.

Mas falemos do lado brilhante – e isso não falta. São tantos estilos diferentes que é impossível dizer qual é a melhor, apenas arriscar que ela está entre essas:

As aparências enganam – Fernando Gonsales: não tinha como ser diferente. O criador de Niquel Náusea mistura seu inconfundível senso de humor com o traço indomável dos Estúdios Mauricio de Sousa. O resultado é um “falso Bidu”, que encontra com outros desenhos da Turma, tortinhos, mal-feitos, e, por isso mesmo, autênticos.

Nada como um dia após o outro -  Vinícius Mitchell: vários autores escolheram o Astronauta – um dos poucos adultos proeminentes da obra de Mauricio. Talvez por isso ele não transite tão bem entre as crianças (eu mesmo sempre pulava as histórias dele). Dentre todas as releituras filosóficas e verborrágicas do personagem, a de Mitchell se destaca por unir os mundos adulto e infantil, num conto sobre maturidade e a passagem do tempo.

Sem título – Erica Awano – na boa? Eu sempre achei a mãe do Chico Bento uma bi-a-tch! Chiliquenta, histérica e até meio cruel. Erica Awano trouxe uma visão mais doce da personagem e sua relação com o filho. E surpreende por sua sensibilidade como roteirista, faceta desconhecida até então.

Cadê o Capitão Feio? – Orlandeli - uma visão bem humorada do supervilão da Turma. Ao revelar o destino do vilão, Orlandeli mostra o Capitão Feio em cada um de nós.

Minha visão preferida – Vitor Cafaggi - enquanto Mauricio de Sousa está completando 50 anos de carreira, Vitor Cafaggi está completando um – e é a grande revelação do álbum, numa história delicada e magistralmente ilustrada sobre o Chico Bento. A HQ já sinaliza o brilhante caminho que o criador de Puny Parker tem pela frente. Fiquem de olho nesse menino!

Quanto à minha história, “O que aconteceu com a menina mais forte do mundo?“, só posso dizer que foi escrita durante toda uma apaixonada noite – mas já estava pronta há tempos. Nela, eu trago uma visão particular sobre o futuro sombrio da Turma, com Franjinha se transformando no poderoso vilão Jinn Farah. Ele e seu arqui-inimigo, o Dono da Lua, como vilões que são, aguardavam apenas a oportunidade perfeita para fazer sua estréia. Eu jamais poderia imaginar que seria numa ocasião tão especial. Fica aqui também meu agradecimento ao Michel Borges, que me emprestou seu talento ao finalizar as páginas.

É isso! Procure nas bancas a edição cartonada (R$ 55,00) ou nas livrarias a de capa dura (R$ 98,00), a que for mais conveniente para o seu bolso. São quase 200 páginas, das quais todos os brasileiros, desenhistas ou não, têm muito do que se orgulhar.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

11 Comentários

  • Gabriel says:

    Tinha comprado esse livro a alguns dias, li ele inteiro, me desapontei com algumas histrias, mas achei que a sua histria, a da Erika Awano e a do Jean Galvo foram as melhores…

  • Maya Cimionatto says:

    J pedi para a mamy comprar e colocar na minha caixinha que eles vo mandar pro Natal…
    Parabns!!!

  • Alessandro says:

    Cresci lendo Turma da Mnica. Foi o que me incentivou a aprender a ler.

    Larguei um tempo, mas sempre voltava a ler para descontrair, fugir de qualquer outra leitura.

    Bem colocado o que voc disse sobre prestigiar o produto nacional.

    Maurcio tem se renovado. E isso timo. Primeiro Turma da Mnica Jovem (claro que li) e depois o Casco Porker e agora MSP 50.

    E o que posso dizer sobre este lbum? Estou doido pra comprar. quase uma obrigao. E s li boas crticas.

  • shantall says:

    naum conhecia nem vc nem seu blog… o roberto moreno RT calimano que RT vc e eu acabei vindo parar aqui… curti… volto… estou fuando.. xD descobrindo que conhecia seu trampo mas naum vc… legal isso xP

  • Enri says:

    To comprando pela Livraria Cultura tb, mas pela web. Duro morar em cidade pequena…

    Obs: Yabu, vc deveria fzer um post com uma espcie de guia p/ Blackest Night. Abs.

  • Paulo says:

    Sinceramente Yabu… Parabns. Mal posso esperar para ler a histria (ahn, o “gibizo” por completo!!!”), e prestigiar esse trabalho to importante. Tambm espero ansiosamente pelo trabalho de outros autores (principalmente de Erica Awano, que sempre fui f do trao) e creio que vai ser uma esperincia espetacular.

    Afinal, eu comeei a sonhar ao ler as historinhas de uma tal menininha baixinha, gordinha e de vestidinho vermelho ^^

  • Rey says:

    Meus parabns por estar nessa, cara. Tenho certeza que, como recompensa, alguma criana que hoje sua f vai te homenagear nos seus cinquenta anos de carreira!

  • Essa j valeu s por ter me ajudado a descobrir o trabalho do Vitor Cafaggi (comecei a ler imediatamente aps conferir sua resenha e j me viciei em Puny Parker).

    Hoje pela manh eu j havia lido a review que o Eduardo Nasi, do Universo HQ, escreveu, o que me deixou bem curioso pra conferir. Agora voc conseguiu me deixar ansioso!

    Assim que o fizer providenciarei uma review tambm, tentando fazer justia a todos os artistas (vejamos se serei capaz).

    E ainda t te devendo a leitora de suas Princesas do Mar. Mas, ser providenciada tambm.

    Um abrao. E parabns por seu talento a cada dia mais desenvolvido!

  • Ricardo says:

    Comprei o livro, seguindo sua dica da Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos, uma obra magnfica que vale a pena comprar, gostei muito das vises pessoais de cada artista, muito boas e bem sacadas mas numa obra dessa magnitude sempre temos os tarbalhos que mais gostamos e no meu caso foram desses artistas: Manoel Brando; Lailson, Fbio Yabu; Fbio Moon e Gabriel B; Jean Okada; Otoniel Oliveira; Antonio Cedraz; Erica Awano;Spacca; Christie Queiroz e Vitor Cafaggi.

  • No li as resenhas porque quero ser surpreendido (no ia nem ler o post, mas no resisti XD)

    Tou no aguardo pelo link da lojinha do Submarino parra dar dinheirrinha

  • Raf_lisboa says:

    Lindo texto, Yab.S nos deixa com mais vontade de ler esta homenagem ao grande Maurcio e , porque no, de ler mais HQs suas..
    Abraos!!



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube