Defendendo o uso do gerúndio e da Comic Sans num mundo politicamente correto - YabloG!

Defendendo o uso do gerúndio e da Comic Sans num mundo politicamente correto

outubro 10th, 2011 | Por Fábio Yabu em Crônicas


Foto por Azaghal

Acho estranho quando pessoas do bem – com curso superior e de boa família – de repente vestem carapuças brancas, assustam seus pais e filhos, montam em alazões negros e saem às ruas com tochas à caça de vítimas que sequer sabem o motivo de sua perseguição. Num minuto, estão enxugando a louça, no outro, açoitam seus vizinhos, sob o pretexto de que estão combatendo pragas, tão terríveis que mereceriam capítulos à parte em qualquer livro sagrado.

O pobre gerúndio, por exemplo. Esses dias vi na Internet a foto da fachada de um restaurante, com um simples e eficiente aviso de que “estamos atendendo”. Fui direto para os comentários da foto para confirmar uma certeza: lá estava a inevitável acusação de “gerundismo”. Alheio às tochas erguidas por inquisitores internet afora, o gerente – Armando – estava atendendo seus clientes, e, se Deus quiser, está atendendo a uma hora dessas e também vai estar atendendo amanhã, SIM, em horário comercial e com o português im-pe-cá-vel.

Vítimas de semelhante perseguição são as padarias, pet shops e pequenas pizzarias de bairro que OUSAM usar Comic Sans em seus logotipos e cardápios. Designers e diretores de arte ficam de cabelo em pé ao ver tamanha aberração, tamanho atentado à estética perpetrado por esses criminosos que sequer têm grana para pagar uma fonte melhor e não entendem coisa alguma de ”designer! Nem sei como esse tipo de gente consegue fazer pãozinho quente, dar banho no meu cachorro e entregar a minha pizza.

E aquele outro tipo de gente, que não vê graça em piada sobre assuntos “leves” como estupro, homofobia e pedofilia? E são acusados pelos inquisitores de serem “politicamente corretos”, praga que, segundo afirmam, está tornando as coisas chatas e acabando com o mundo. É só olhar pela janela e ver a zona que esses malucos estão fazendo: a essa hora, tem alguém “politicamente correto” parando o carro para um pedestre, recolhendo o cocô do cachorro, não bebendo porque vai dirigir e, valha-me Deus, comprando alimentos orgânicos. Talvez devêssemos voltar agora mesmo para o mundo dos crioulos, das bichas, dos mongolóides, dos pediatras fumantes. Com cocô de cachorro petrificado na rua e sem cinto de segurança. Tudo bem que era mais fácil morrer, mas pelo que dizem os detratores do “politicamente correto”, era menos chato viver.

Assim, a verdadeira – e mais terrível – das pragas vai se espalhando, com métodos vis e amplamente difundidos. Disfarçada de um comentário jocoso ou exposta na reação exarcebada a um deslize cotidiano, a discriminação vai encontrando o seu caminho nos corações das pessoas de bem como eu e você.

Nunca foi tão fácil.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 Both comments and pings are currently closed.

18 Comentários

  • Danilo Teixeira. says:

    Me diverti lendo os comentrios das pessoas que no entenderam o texto, principalmente daquela que diz que boa em interpretar, mas o sentido no ficou claro!

  • … o problema que encher o saco dos outros na internet no tem nada a ver com ser educado na rua.

  • E agora que eu li os outros comentrios e vi que um monte de gente nem entendeu o texto. Meodeos.

  • Na verdade, em portugus impecvel sua frase em negrito seria “estar atendendo”, afinal “vai estar atendendo” tem verbos demais, o que em ltima anlise o grande problema do “gerundismo”. No restaurante, entretanto, a frase est perfeita, realmente.

    O que me incomoda no gerundismo, inclusive, justamente que os ignorantes apenas mudaram de lado, e o senso crtico continua ausente. Eu vejo diariamente exemplos de pessoas que no so capazes de pensar por si prprias, de utilizar o bom-senso para resolver questes cotidianas, e precisam que outras lhes digam o que fazer. Agora, os “formadores de opinio” resolveram que o gerndio tem sido superutilizado, e as ovelhinhas no sabem discernir o porqu. O mais fcil ento atacar todos os usos.

    Pacincia. Entre essas pessoas tambm existem aquelas que sabem fazer po, dar banho no seu cachorro e entregar pizza. Como todos eles, os politicamente corretos tem seu papel, e os politicamente incorretos tambm. Quem eu acho que atrapalha essa histria toda so, como sempre, os idiotas.

    Mas foi bom ver algum defendendo uma idia polmica (hoje ser politicamente correto polmico) com fundamento, pra variar.

  • Flavia says:

    Finalmente algum concorda comigo! O politicamente correto, chato ou no, o que impulsiona a sociedade a evoluir.

  • elisa says:

    olha, realmente, at para mim, que me considero boa de interpretao de texto, seu ponto de vista no ficou exatamente claro. se o que voc quis dizer foi pra desencanar de tudo isso e viver de boa, sem se preocupar com esses detalhes, ento eu entendi e concordo!
    rsrsrs

  • acho engraado como muita gente acha que, por antigamente isso ou aquilo ser algo normal, deveria continuar assim at hoje.
    somos uma sociedade em constante evoluo, e decobrir que atitudes ou conceitos estavam errados faz parte disso. oras, antigamente era normal escravizar outro ser humano, mas hoje no mais permitido. por que, ento, continuarmos ofendendo e humilhando outros seres humanos, que tm sentimentos assim como todos ns?

  • Carol says:

    “People have lost their sense of humor. In former times we constantly made jokes about different races. You can only tell them today with one hand over your mouth or you will be insulted as a racist. I find that ridiculous. In those earlier days every friendly clique had a ‘Sam the Jew’ or ‘Jose the Mexican’ – but we didn’t think anything of it or have a racist thought. It was just normal that we made jokes based on our nationality or ethnicity. That was never a problem. I don’t want to be politically correct. We’re all spending too much time and energy trying to be politically correct about everything.”
    Clint Eastwood

    Por mais que um dos meus “mestres” diga isso, eu concordo muito mais com voc.

  • Yabu?… Sei no, meu caro, mas acho que o pessoal no entendeu muito bem o seu texto :)

    Seja como for, gostei muitssimo do que acredito “estar entendendo”. realmente voc foi bastante loquaz (no sentido politicamente correto) mesmo com o sarcasmo que, impressionantemente, consegue ludibriar alguns!

    Parabns!

  • Correto ou incorreto, o pessoal anda se ofendendo fcil demais ultimamente e achando que ser protegido de ficar ofendido deve ser um direito bsico do cidado.

    Querem “pelo sim, pelo no” proibir algo que um dia poder vir a ser ofensivo pra algum, talvez.

    Eu acho o politicamente correto das palavras idiota. Palavras so poderosas mas, no fim, so s palavras. O uso delas que o que faz diferena.

    Um bom exemplo IDOSO. A palavra “incorreta” VELHO, o PC “idoso”. S que todo mundo passou a falar idoso e no mudar absolutamente nenhuma outra atitude. Ento eis que idoso virou pejorativo e agora o lance falar “melhor idade”. Na boa, no fodam.

  • Ai o sarcasmo, confundindo pessoas desde o principio dos tempos.

    Odiar o politicamente correto est virando senso comum, e sendo assim pessoas esto achando normal coisas horrveis s porque no as criticariam antigamente.

    Adorei o texto, abrao.

  • Abossal says:

    No sei se entendi direito. O texto contra ou a favor ao Politicamente Correto?

    Ou voc tenta apresentar dois tipos diferentes de politicamente correto?

    E mano, “antigamente o mundo era muito melhor” mimimi de velho que vivia numa bolha ideolgica nos anos 80.

  • Daniel Ranieri Negri says:

    Achei o texto MUITO legal, mas parei de concordar na parte que ele critica quem para o carro para um pedestre, pega o coc do cachorro e derivados. Acho que isso so atitudes educadas e que ajudam o prximo e difere totalmente dos exemplos anteriores que seriam as pessoas que enchem o saco das outras quando no esto fazendo nada de errado.

  • Se esqueceu dos bonequinhos com componentes toxicos com chumbo…!
    Todos querem ser o exemplo hoje ta uma merda foda.

  • O mundo continua o que sempre foi e pelo que vejo continuar o mesmo por muito tempo. S mudou a fachada para “politicamente correto”, mas a corroso do preconceito continua em sua estrutura. Num mundo onde a imagem impera, no h necessidade de bastidores, :)
    tima reflexo sobre o cotidiano, Fbio Yabu.

    Abrao!

  • Leonor says:

    Texto MA-RA-VI-LHO-SO!! O “politicamente correto” est acabando com a alegria da vida, a ponto de irem com tochas contra os “pneis malditos” e afins. Cadeires para crianas no carro, alarmes em casa, promoo de celulares para o dia das crianas… cad os riscos da ingenuidade de antigamente?



  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube