YabloG! - Blog do escritor Fábio Yabu

Lisa Loeb is #1 single

julho 31st, 2006 | Por Fábio Yabu sob Resenhas - (1 comentário)

lisa.jpg

Lisa Loeb está procurando alguém interessado em espiritualidade, em ser uma pessoa melhor e que deseja ter filhos! E que diabos eu estou fazendo em São Paulo? AAARGH!!

Lisa Loeb #1 single
E!
Dia 02/07, às 15h

03_BusShelter.jpg

Acabei de voltar do cinema, após ter assistido a Super-Homem – O Retorno pela segunda vez… e, agora que eu já conhecia toda a história, pude prestar mais atenção às sutilezas do filme e me diverti ainda mais que na primeira vez.

Resenhas sobre o filme você pode ler em qualquer lugar, e acho que todas são unânimes em dizer o quanto ele chuta bundas. O que eu quero comentar aqui são leituras pessoais que fizeram do filme inesquecível para mim. Por isso peço que não considerem esse texto uma crítica e sim um relato transparente das sensações que o filme me trouxe.

Coragem

Pra começar, achei a decisão do diretor Bryan Singer de fazer uma continuação de Super-Homem ll brilhante. Quantos filmes podem se dar ao luxo de ter uma continuação 27 anos depois de seu lançamento? Foi uma rara oportunidade na história do cinema que Bryan Singer aproveitou com maestria. Ele usou toda a mitologia do personagem a seu favor. Não perdeu tempo em reapresentar algo que todo mundo já sabe. Nenhum outro personagem de quadrinhos tem esse poder; mesmo quem nunca pegou num gibi do Super-Homem sabe o que é kryptonita e quem é Lois Lane. Mas pergunte por aí quem é a namorada do Batman ou os pais do Homem-Aranha e a história vai ser bem diferente.

Mesmo com toda a notoriedade trazida por quase 70 anos de histórias, uma bem sucedida carreira no cinema e o recente sucesso da TV Smallville, o filme não deixa de ser corajoso e até arriscado. E é aí mesmo que está um de seus maiores méritos; apesar de ser entretenimento, Super-Homem – O Retorno, se arrisca a contar uma história profunda e cheia de camadas. A introduzir elementos numa história que se tornou mitologia moderna, sem desrespeitar todo o legado que ela traz.

É claro que o mundo precisa do Super-Homem. Um salvador, alguém que luta pela verdade e justiça e “todas aquelas coisas”. O paralelo com Jesus Cristo não só foi mantido como reforçado no filme. As cenas que mostram sua ascensão aos céus só poderiam ser uma menção mais clara se fossem seguidas de um número de capítulo e um de versículo.

O Super-Homem não é um herói que nasceu da culpa como o Homem-Aranha, ou da vingança como o Batman. Se isso faz dele um personagem menos profundo, que seja. O Super-Homem é bom porque é bom, e é uma inspiração para pessoas dentro e fora dos quadrinhos. Tem motivo melhor para definir e admirar um herói?

Respeito

Se você ainda não viu o filme, espere para fazê-lo após assistir em DVD aos filmes Super-Homem 1 e 2. Eu garanto, a experiência será completamente diferente.

A atenção aos detalhes e nuances de cada personagem trazidos à nova versão é primorosa. A começar pela abertura e os créditos iniciais, feitos tal qual o filme original. Já na casa de Martha, a mãe adotiva do Super-Homem, é possível ver um quadro com Glenn Ford, que interpretou o pai do herói no filme de 78. A utilização da voz de Marlon Brando como Jor-El então já vale o preço do ingresso.

Todos os personagens principais repetem falas dos filmes de 78. A chegada de Clark ao Planeta Diário e seu encontro com Jimmy Olsen é um dos muitos diálogos intocados, que são uma verdadeira declaração de amor à obra original e de respeito a muitos que, como eu, consideram Super-Homem 1 um precioso tesouro da infância.

Amor

É mais do que ação desenfreada, troca de socos e efeitos especiais. Super-Homem – O Retorno é uma história de amor. Essa é uma das nuances que tornam o filme tão rico.

Você não necessariamente torce para que o casal fique junto no final. Fica aquela dúvida se é certo ou não; eu cheguei a torcer para que o beijo não saísse. Quem já amou sabe que amar não significa estar junto, mas estar “sempre por perto”.

Conclusões

Eu sempre tive uma certa inveja das pessoas que viram filmes como Super-Homem 1, Star Wars e Indiana Jones no cinema. Durante toda a minha vida, eu me perguntava quando eu poderia ter a mesma sensação e orgulho para poder contar para meus filhos e netos.

Vieram filmes como Matrix, Senhor dos Anéis, Homem-Aranha. Filmes que eu até sinto um orgulhozinho, mas não é a mesma coisa. Eu tinha 6 anos quando vi Super-Homem 4 no cinema num passeio da escola, e me lembro com detalhes fotográficos o dia nublado, a estranheza que me causou termos entrado pela porta lateral do Cine Roxy e ainda me pergunto quem eram aqueles meninos sentados na fileira da frente, já que da minha classe é que não eram.

Quando estava mais velho, acabei percebendo a importância dos filmes do Super-Homem no cinema e o quanto eu desejaria poder ter visto o original com um pouquinho mais de idade, até porque o 4o é ruim de doer. Desde então, tenho esperado por anos a fio a volta do Homem de Aço, e hoje finalmente posso estufar o peito e dizer que a espera valeu a pena. O Super-Homem está de volta! Como diria Clark Kent, supimpa!!

Super-Séries

julho 27th, 2006 | Por Fábio Yabu sob Resenhas - (1 comentário)

Veja como sua série favorita se chamaria se passasse na Globo ou no SBT!

(mais…)

E aí, roendo muito as unhas pelo filme do ano?? Está acompanhando o especial do Omelete? Já leu as entrevistas exclusivas com o diretor Bryan Singer, Brandon Routh (Clark Kent) e Kate Bosworth (Lois Lane)? Tem vários artigos meus lá, então não perca tempo, pequeno gafanhoto!

http://www.omelete.com.br/superman.asp

Vídeo inacreditável de uma menina de 11 anos cantando na nova competição de talentos dos Estados Unidos que tem como juiz ninguém menos que David Hasselhoff!!

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/ozDh4NQveJs" height="425" width="350" /]

Ai ai… lá vou eu ficar viciado em mais um concurso de talentos! Ninguém merece!

  • Twitter
  • Facebook
  • YouTube